Quem Somos Diretoria Estatuto Missão e Visão

 

 

     

  < Palavra do Provedor

  < Corpo Médico

  < Serviços e Medicina

  < Convênios

  < Galeria dos Ex Provedores

  < Horários e Normas de Visitas

  < Acomodações e Dependências

  < Equipamentos e Aparelhagem

  < Fale Conosco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conselheiros vão se reunir para análise e votação da

prestação de contas

 

     Os membros do Egrégio Conselho do Hospital São Salvador serão convocados pelo Senhor Provedor, Dr. Rafael Boubee Gracioli da Silva, para em Assembléia Geral Ordinária, analisarem a prestação de contas do Hospital São Salvador do exercício de 2016. Após a análise, os Conselheiros são chamados a votar pela aprovação ou não das mesmas. (Leia mais)  

 

Como proceder em caso de mordidas de cães de rua

 

A raiva é uma doença de origem viral que possui uma taxa de mortalidade de praticamente 100%. Não há tratamento eficaz, mas a profilaxia (prevenção) é possível através de vacina ou imunoglobulina.A raiva é transmitida através da saliva do cão. A mordida é o principal meio de inoculação da saliva infectada no organismo humano.Todo indivíduo mordido por um cão deve primeiramente tentar obter sua carteira de vacinação para saber se o animal está devidamente vacinado, uma vez que cães vacinados não são fontes de transmissão da raiva. Se o cachorro estiver com a vacina em dia, não há necessidade de iniciar qualquer tratamento, a não ser que o animal passe a apresentar sintomas da raiva poucos dias depois da mordida.Nos cães, o tempo máximo de evolução da doença, desde o aparecimento do vírus na saliva até a sua morte, é de apenas 10 dias. Portanto, quando alguém é mordido por um cachorro, indica-se a observação do animal por até 10 dias. Se o cão não adoecer neste intervalo é porque ele não estava contaminante no dia da mordida, não havendo, portanto, risco algum de raiva para o paciente, mesmo que o cão não esteja com a vacina em dia. Se o animal for um cão de rua, sem dono, é importante capturá-lo para que ele possa ser analisado por um veterinário, de modo a procurar sinais do vírus da raiva. Se a captura do animal não for viável, o tratamento profilático (preventivo) deve ser indicado, partindo do princípio que este esteja contaminado com o vírus da raiva. Portanto, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, já que a profilaxia contra a raiva é considerada uma urgência médica.

 

 

 

 

 

 

Berçário Virtual

 

 

Informações Úteis

Entenda as regras de atendimento no pronto socorro

 

Egrégio Conselho


 

 

 

Visitantes:

contador grátis

 
 

Concepção e Design

Rua Coronel Oscar Cortes, 239 - Segundo Andar (Sala 206) - Centro - Além Paraíba/MG

Fone: (32) 3466-1372

(site doado ao hospital São Salvador)